Número total de visualizações de página

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Estrela cadente

Estrela cadente

Amo uma estrela.
Lá longe…algures no céu.
A noite caía…eu ia vê-la
estrela cadente…de tão lindo véu
…amo-a, ela sabe…
Sonho com ela a cada dia
imagino-me com ela voar
Poder bailar na sua noite
…amo-a, ela sabe…tudo é magia.
Longe é o seu habitar
Os raios de luz são vestidos de cetim,
de Amarelo sol
como flores num jardim.
Quantas vezes lhe falo
ao anoitecer…voz de rouxinol.
Quantas vezes a desejei ver,
no meu leito e adormecer.
Amei e amo, esta estrela…
que mesmo em noites de nuvens fechadas
quero tê-la…
Estrela que me quer fugir
na escuridão da noite…
mas no luar da lua
consigo encontrar menina a luzir
menina marota brilhando nua
Provocadora ao chegar do dia
sabendo ela, que tudo com ela fazia,
em sonhos do infinito.
Chamo-a e desejo-a
menina bela
Minha deusa que em ti acredito
que uma noite se fará dia.
Te abraçarei da minha janela
Todos os dias te olho…diamante
Cegas-me com teu semblante,
com o teu brilhar
Penso em ti a cada segundo
Tu sabes…que sou crente
e a todo o instante
te posso amar…meu mundo
menina cadente
Tu sabes…amo-te
e sou paciente
no meu…silenciar.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.