Número total de visualizações de página

domingo, 22 de maio de 2011

Sim, minha amiga

Sim, minha amiga

Querida amiga desconhecida,
você já notou como brilham ao sol, 
os grãozinhos de areia? 
Já notou como o número de grãos de areia
são incontáveis pelo homem?
Que esses simples grãozinhos
podem representar o infinitamente grande?
Querida amiga, amo os grãozinhos de areia,
amo as flores,
amo as estrelas, são uns amores
os sorrisos das pessoas,
o céu azul, a chuva,
a desconhecida que passa,
o bago de uva,
as pessoas que não me compreendem
os meus amigos.
Amo a vida e amarei sempre,
porque sei que em algum lugar há os grãos de areia,
há flores,
há sorrisos,
há um céu azul mesmo atrás das nuvens.
Mas... eis o que há de melhor,
minha querida amiga desconhecida:
Você existe.
Nada vai conseguir mudar
mesmo sem me ligar, sonhas comigo.
Porque nunca me viste.
E os grãos de areia são sempre do mar,
do meu deserto, do teu amar.
Mesmo destruindo as areias do teu mar,
não destróis a imensidão
só destróis as areias do teu mar,
mas nunca as que tenho na mão.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.