Número total de visualizações de página

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Amo...

Amo…

Amo… Amo a encarnação viva da beleza, quando me beija, quando sinto a sua pele nua… Branca, pujante e me deito na melodia carnuda…
Amo!
Então, peço a complacência até ao fim, cabelos soltos e imensos caracóis a me acariciarem o pescoço!
Então, peço mais verdade nos cabelos riçados, mais ouro, mais ébano e incenso, todos os perfumados gemidos como presentes!
Amo… Amo o odor que se desprende dos cabelos, quando a sua boca se mistura com a minha e a anca estreita me faz cegar os dedos ao toque!
Então, peço que se acentue, que me exija carne, que eu seja fonte naquele confronto de suores!
Então, peço que seja a boneca das minhas brincadeiras, quando os encantos dos meus anseios se fazem inegáveis ao momento!
Amo… Amo quando ela me ama!
Então, somos completamente um só!


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.