Número total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de abril de 2017

Poesia imortal

Poesia imortal

Olho-te meu amor, e é tão suave o vestido que esconde a pele e os contornos proibidos!
A história deste meu olhar, escrevo-a com os cinco sentidos.
E se me olhares verás a anatomia deste meu amor!
A arte na total importância, de quando te olho e me fazer sentir o teu interior.
E ao escrever estas palavras, faço em cada letra um gesto erótico, e a exuberância da minha mente imagina-te nua em cada rabisco horizontal!
A história é um olhar que te segue em poesia e se sente imortal.
Se me olhares tal como te olho, serás privilegiada pelo exibir da inocência que trago, que escrevo e falo.
A arte somos nós vestidos ou nus, quando te olho, quando me olhas.
Eu sei que o amor completo pode estar num poema que escrevo para ti e que não calo.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.