Número total de visualizações de página

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Carnaval

Carnaval

Hoje não vou à rua, porque tudo é real, cada artista um corpo pintado ou a mente esculpida, cada ser, um ser trocado ou achado nesta vida!
Mascarados eu encontro durante todo o ano, tantos são os felizes, que não o são, outros que são e não dizem, e outros que mal dizendo, são todo o ano perdendo!
Máscaras e mais máscaras em corpos sem criador, modelos de olhos tristes numa vida em bolor e tudo é engano em sorrisos todo o ano!
Hoje são substitutos de fetiches e algo mais, loucuras e projeções, momentos e alucinações, onde se é perdido por dez, ou perdido por mil e quem sabe, por muito mais…
E o espectador que em silêncio lhes sorri sabe do podre da vida e do mundo que eu já vi… Por isso, hoje não vou à rua…
Não tenho intenção, nem sistema, nem direção, tenho programado somente meu coração, um lema e uma mão, que ama e se mascara de feição, de simplicidade, de humildade e amor em união.
Hoje é Carnaval, e só hoje alguns se vestem na real, hoje brincam no meio da rua, sem pensar, sem o seu consciente, seu inconsequente, indeferente ao interminável mundo que mascarado todo o ano continua e eu não me engano! Hoje vou ser igual, não vou à rua por ser Carnaval!


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.