Número total de visualizações de página

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Quando sozinho

Quando sozinho

Tenho tudo á minha volta, quando me sinto sozinho.
E o espaço me aperta, na largura de um caminho.
Tenho tudo e tudo tão perto,
por vezes tão longe, tão longe,
que me vejo num abismo
E o espaço me confunde, me faz crer sem acreditar
Como as águas num autoclismo,
gotas prontas a naufragar

Tenho tudo á minha volta, quando a carne me esfria
E o espaço se revolta, numa volta sem retorno
Tenho tudo, tudo sem dono,
como numa lágrima em nostalgia
E o espaço é noite, é dia,
é loucura em teu contorno

Tenho tudo á minha volta, paredes nuas caiadas
E o espaço são madrugadas, são estrelas aluaradas
Por uma lua lá no céu, que me faz ter a saudade
Que me leva pela verdade, sozinho e em liberdade
A sonhar…
Tenho tudo á minha volta, quando sozinho.
… Para te amar


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.