Número total de visualizações de página

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Está frio no mês de Agosto

Está frio no mês de Agosto

Daqui assisto a um frio que vem de ti, não sei porquê…
Mas está frio dentro de mim.
O vento que levas faz-te voar os cabelos e me mostra o nu de uma direção sem rumo.
É vento que sopra, é chama sem fogo… É fogo sem fumo.
É frio que passa, que passa e não fica… Que fica e não quer, um vento que sopra, que sopra mulher…
Daqui assisto ao desejo, ao beijo que vai, que voa no vento, que grita no tempo, num tempo que é frio… Um frio sem fim.
E dentro de mim, faz-se calor de um gelado ardor, que voa faminto no frio que sinto.
E o meu corpo está consciente, da mulher que voa no vento e sorri de contente…
Daqui assisto ao olhar em lágrimas, aos olhos que choram perdidos e se devoram, por não saberem que o frio que sinto é amor.
Daqui assisto ao limite da minha temperatura, não estás, não és, não queres, não vens…
E está frio como nunca senti, de um vento que voa sem sustento e vem de ti.
Está frio no mês de Agosto, o calor é personagem, para alguns miragem, para mim ancoragem… Num frio em mim posto.


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.