Número total de visualizações de página

sábado, 13 de agosto de 2016

Amor escondido

Amor escondido

Não quero ver-te envolta, nessa roupa que esconde o que de mais belo desejo!
Desnuda-te desse papel famoso, criado pela ilusão de algo, que não sabes onde!
É tão ilusório o teu íntimo feminino, pois a mim não revelas… Nem ao mundo!
Não quero permanecer tal como tu, escondido, quero uma realidade à superfície, mas que penetre bem fundo.
Diria afirmativamente, que basta um avental e para mim já eras perfeita nesse uniforme!
Desnuda-te dessa quimera, vem falar da primavera, dança comigo para que sinta, para que possa voar com estes meus dedos, pela nudez das tuas costas e poder beijar, num beijo enorme.
Não te quero sozinha, nem perdida, quero que venhas e sintas o meu corpo somente de gravata… Não é ilusão e eu sei onde… Onde o amor escondido… Se esconde!
Quando a vida é não-grata.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.