Número total de visualizações de página

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Por aí... Te encontro...

Por aí… Te encontro…

Andei por aí, mas nunca… Nunca te perdi…
Andei por aí, mas nunca… Nunca deixei de pensar em ti…
E nasceu o sol… Sempre te vi
Se fizeram formas doces por entre as ondas… Sempre te imaginei… Pura…
Se fizeram canções naquele céu… Era amor…
Eras tu…
Era eu…

Quando sonhava, ouvia-te cantar no bailado das gaivotas
Andei por aí, mas nunca… Nunca senti a tua ausência…
Existiam janelas de sorrisos… Corações abertos e cantigas…
Como existiam olhares por entre mil portas
E se fazia calor… Sempre sonhava contigo na minha inocência…
Eras tu…
Se fez noite… E eu abraçava só para te sonhar…
Fotografei imensas cores no sonho… Quantos arco-íris, quantas cores pastel… Quantas flores… Quanto mel…

Andei por aí, mas nunca… Nunca te esqueci…
Se fizeram dunas… Ondulações cobertas de plumas…
Suavidades que por aí… Me fizeram sentir teu perfume… Esse amar de ti
Se fizeram estrelas… Luzes incandescentes, iguais ao teu olhar…
Fotografei a sonhar…
Lindas melodias de sereia… Que brilhavam nos raios do luar, meninas sentadas nos reflexos iguais aos olhos que conheci…
Segredos de luz que encandeavam os olhos mais preciosos que conheço… Os meus… Para ti

Andei por aí, mas nunca… Nunca sofri…
Se fizeram horas, dias e semanas… Nasceu a paz, o caminho, o encontro e sempre o fiz com amor
Andei por aí, mas nunca… Nunca pedi que ficasses…
Meu amor, não era preciso eu te pedir… Sempre estavas presente…
Meu amor, eu sei que tal como eu, também tu te encontras a sonhar… Achada a andar por aí…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.