Número total de visualizações de página

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Fado na minha voz

Fado na minha voz

Eu… Não sei cantar
E quando o faço é do abraço
Ao copo de vinho
E a voz que tonta entoa
Por vezes se entorna na toalha de linho
Soluçada no meu fado,
na canção que me embebedou
E sozinho sei, que ninguém repara
Que o fado que canto
Sai do copinho

Eu… Não sei cantar
Somente o trago me alivia a saudade
Mais um copinho
e a música é história
Canto mais uma,
num tinto de espuma
E a alma canta vitória

Pareço um cantor,
Numa voz que encanta… O meu soluçar
Nunca dá para esquecer
Pois a canção faz lembrar
Que um bêbedo pode não ser
O que a canção nos diz a chorar

Mas como não sou cantor
Posso cantar para mim
e amar… Para ti
Como quem bebe mais um copinho
Sangue da vida e do amor
Vozes que amam o meu sim
Bêbedo… Por não te ter…
No fado que canto…
Sozinho



José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.