Número total de visualizações de página

domingo, 11 de maio de 2014

Apeteceu-me... E a ti?

Apeteceu-me… E a ti?

Hoje apeteceu-me imaginar o céu, a terra a as ondas a troar
Trovões que imaginei rebentar o brilho do meu olhar… Este meu olhar feito cometa.
Uma imitação de planeta, que sabe iluminar o meu coração… Esta luz que vos mostro com os raios de letras, escritas no céu, na terra e nas ondas de mil poemas…
Hoje apeteceu-me sentir este coração que te quer… E se sente, feito bomba… Uma imitação de estalidos, fogo-de-artifício e lava que sinto descer pelo desejo, meu corpo no teu… O amor na nossa sombra.
A sombra imaginada por mim… Neste meu louco dia do apetecer, em que a voz teve medo dos ferimentos… Do teu não… Do teu sim…
Hoje apeteceu-me imaginar os instrumentos que tangem, que dialogam com os seres celestiais, aqueles que coabitam o que sinto por ti…
O céu, a terra e as ondas a troar… Hoje apeteceu-me imaginar…
Trovões que me deixam velejar pelas entranhas do universo…
O teu verso… O meu poema que não esqueço…
Pois… Esquecer seria não sonhar com os raios que dançam ao som dos zumbidos… Sons pontiagudos… Aquele inebriante, fino e doloroso timbre… Quando me foges…
E na fuga sinto-me incapaz de voar, de correr e saltar… De sentir as ondas, a terra e o céu…
Onde o céu… És tu…
Onde a terra… É o amor que me acena…
Onde as ondulações são o amor de um imaginar, que ao troar… Sempre vale a pena…Sonhar…
Hoje apeteceu-me…
E a ti?


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.