Número total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Triste

Triste

A lágrima cai…
Desliza pensando em se soltar, cair no chão para sonhar
E deixar um rosto seco a sorrir…
Uma cara de boca trémula e olhos humedecidos
Não consigo…
Já não me lembro de sorrir!
Outra lágrima cai…
Para percorrer o mesmo caminho, cair no mesmo chão
e abraçar
A outra lágrima, sua irmã…
Ontem chorei… Hoje choro…
Lágrimas que não quero no amanhã

Há pouco… Falei em sorrir…
Sorrir… Como? Não consigo

Lá fora, sem que eu veja… Caminham sorrisos na rua
Cá dentro… A vontade é partir… Fugir contigo…
Contigo a navegar em mais uma lágrima nua
Por mares de lacrimejantes de alegria sem sal

Há pouco, falei em sorrir… Não foi por mal
Eu não consigo…

Detesto o mundo hipócrita… Que sorri sem saber dos outros
E os outros… Sou eu também… Também lá estou
E ao sentir mais esta lágrima…
Esta que não caiu no chão, por ter ficado presa nas minhas palavras
Mais uma lágrima da minha angústia, pelo que sou
Pela raiva, pelo ódio daqueles que não sentem o frio da fome
Da miséria…
Deste mundo que um dia me quis parir

Choro… Desculpem…
Eu não consigo sorrir


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.