Número total de visualizações de página

sexta-feira, 7 de março de 2014

Amor sentido

Amor sentido

Vou pedir, o teu amor
Aquela vontade que nunca se contenta
O amor que sempre aspira algo,
que me coloca em bicos de pé
E cada perna em ti colocada em amor
É um lápis de cor
Que não se aguenta

Mas se deixa levar no ímpeto criativo
O deslizar sobre uma folha de papel, lápis activo
Em perfumes de mel
Corpos entrelaçados…
Mentes apaixonadas

Tanto te peço amor… Todo o amor…
O risco sobre o teu toque cálido
A semelhança ao seixo polido,
num leito de um rio humedecido
Em que a língua ama… Na textura rica do que acontece
E o amor apetece…

Vou pedir a tua mistura, o equilíbrio… O domínio
Essa saborosa e subtil alquimia em que o sal se apimenta
E o amor aguenta…

Por vezes imagino até a cozinha…
Capaz de me levar aos seus desígnios alimentares
Em ti nua… Paladares

Vou pedir a tua galvanização amorosa
Ingrediente sob o meu controlo sensual
Uma pitada de rosa, uma mente viscosa
E o amor natural

Vou pedir o teu amor… E seja qual for a vontade
Será no interior de um poema selado
Que te peço a outra metade… O teu corpo
Porque o sentir já me pertence, em todo o lado
… Amor


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.