Número total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Nunca deixaria

Nunca deixaria

Nunca deixaria os teus pés descalços, pisar o frio do chão
Eles merecem o meu coração
O meu amor
O meu colo
Nunca deixaria…
Que a tua pele macia, pisasse esse solo

Quero-te em mim

Nunca deixaria as tuas mãos frias, mostrarem o trémulo de ti
Elas merecem a minha mão
O meu calor
O meu carinho
Nunca deixaria…
Nem um pouquinho, que deixasses de sentir o que senti

Quero-te pura

Nunca, mas nunca deixaria, que o teu corpo se desnudasse
Ele merece o meu abraço
O meu olhar
O meu beijo
Nunca te deixaria, nem que o frio me trespassasse
Nem que a loucura fosse meu desejo

Quero-te única

Nunca, eu nunca deixaria de te ouvir, se me olhas nos olhos
Tu mereces o pulsar que sentes no peito
O meu também é teu
O anjo que vês na terra e imaginas no céu
Mas…
Nunca, nunca deixaria de voar contigo
Anjo e luz, reflexos aos molhos
Incandescente maravilha que sinto minha… Do teu jeito

Quero-te nas ondas do meu mar

Para que nunca… Mas nunca deixar de te amar


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.