Número total de visualizações de página

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Um dia...

Aos meus amigos pela perda de seu Pai


Um dia...

Olhar no chão...
Olhar no céu...
Olhar sem ver
Sentir que a parede fria não tem coração
Que o ferro frio, não é meu, nem teu
Amigo que vi, sem ver
Sem saber, imaginei o que sentias
Sem saber o que dizer
Sem saber o que fazer
Sofrias...

Triste... Muito triste na luz branca
Triste... Muito triste no escuro
Frio sem cor, saudade tanta
Frio de dor, uma alma santa
Na perda de um ser... Pai...
Pai puro... Pai duro...

Duro é não sentir o olhar no chão...
Olhar o céu...
Olhar sem querer
Saber que a vida é ilusão
Receber de todos, o que nada se deu
Num dia frio, quando o sol se esqueceu
Num dia quente, o mundo a tremer
Amigo que vi, sem falar
Com vontade de gritar
Perguntar o porquê...
Esse frio que ninguém vê
E sempre nos vem buscar

Olhar o chão...
Olhar o céu...
Um abraço a chorar
Meu amigo... Minha mão



José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.