Número total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Sem culpa

Sem culpa...

A criação geme
Maldição
Do homem caído
Quando o tempo teme

É a escravidão
Do homem falido
Quando somos cardos
Espinhos sem bico
Suor dos desgraçados
A criação do aflito

Somos cativeiro
Vaidade nua
Criaturas sem dinheiro
Tesos da rua

E a criação grita
Boca escancarada
Sede e fome… Vida maldita
Gula
De gente fula
Realizada

A criação impotente
Sem nome, sem data
Que dizem ser gente
Quando somos da terra não grata

A criação numerada
Números com coração
Alguns não têm nada
Os outros são o que são


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.