Número total de visualizações de página

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Já não me falas

Já não me falas

Tantas coisas para te contar
… Já não me falas
Sinto um soalho podre sob os meus pés
Tábuas que se desfazem pelo andar
De uns pés calosos na procura de saber
Porque te calas…
E já não sei quem és

Cada tábua que piso é um sentimento
O frio do ferro o ranger da madeira
Cada passo, um pressentimento
O ar, a energia, a ausente companheira
Tudo que me envolve…
… Não tenho o meu canto, não consigo… Nada se resolve

Tantas coisas para te contar
A teimosia do meu coração
A inteligência de quem não quer sofrer
A mentira, a verdade ou alucinação
Tantas coisas… Que guardo sem te dizer

… Já não me falas
Nem as palavras quero alterar
O teu silêncio sim… Pedaços que estalas
Pedaços de ti, sentidos em mim
E eu somente quero transformar
A mentira, o ódio… Em palavras de amar

Tantas coisas para te contar
Segredos em mim guardados
Segredos por explorar
Tantas coisas que deveríamos falar
Eu e tu… Apaixonados


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.