Número total de visualizações de página

sábado, 4 de maio de 2013

Na horizontal... Mulher


Na horizontal... Mulher

Rabisco na parede
Uma linha horizontal
E eu na vertical
Sinto-me com sede
De beijar a linha que deitada
me parece tão real

Rabisco o meu corar
A indecência do fetichismo,
daquele rabisco que me faz sonhar
Simples, mas capaz do exorcismo
Que fiz eu! Ao rabiscar morbidamente
a mulher deitada... Um rabisco
Uma linha horizontal absorvente
Qual necessidade... Meu petisco

Rabisco...

É inesgotável a sensação
De olhá-la e sentir a linha nua
Insuportável querer da minha imaginação
Rabisco na parede da minha rua
Belo... Minuciosamente traçado
Mulher...
Não uma perfumada qualquer
A deusa pela qual me sinto apaixonado

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.