Número total de visualizações de página

sexta-feira, 17 de maio de 2013

Dança nua


Dança nua

Dança nua à minha frente
E eu esculpo-te a carne com emoção
Dança para que eu sinta o salpicar
O sangue subir pela nascente
E assinar,
o compromisso do meu coração

Dança para que te possa olhar novamente
Imperatriz do improviso
Dança para este meu corpo, que te sente
E dentro de mim a dançar,
me fazes perder o juízo

Dança nua, mas não em sonho
Quero saborear o teu corpo no ondular
Vem dançar
e eu nu para ti me ponho
E no auge da dança sentirás o rasgar

Vem dançar e sente a lírica melodia
Que por entre o colo se ergue
Dança miraculosa alegria
E vem comigo ver para que serve
A dança, o amor… A magia

Dança, tu que me torturas
Bela adormecida da poesia
Vem, tu que me provocas loucuras
E a dançar durante a noite,
me fazes esquecer, que já é dia

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.