Número total de visualizações de página

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Fecho os olhos e...


Fecho os olhos e...

É ingrato o meu pensamento
Tão ingrato que já não sei pensar
Fecho os olhos e...
Ouço o vento
Ouço também as ondas do mar
... É ingrato a minha imperfeição
Imperfeito por não me saber conter
Fecho os olhos e...
Ouço o meu coração
Ouço o amor vindo de ti ao anoitecer
... É ingrato este meu uniforme
Roupa nua quando te sente
Fecho os olhos e...
Ouço um respirar que me consome
Ouço o teu sorriso e ele não mente
... É ingrato este muro infinito
Este colossal abismo onde te desejo
Fecho os olhos e...
Ouço uma voz que me chama num surdo grito
Ouço uns lábios sequiosos por um beijo
... É ingrato o mundo que me isola
Neste pensamento onde te vejo de folhos
Ouço uma luz que me consola
Ouço-te se fecho os olhos
Fecho os olhos e...
Sou um corpo nu
Que sempre... Sempre que fecho os olhos
... És tu

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.