Número total de visualizações de página

quarta-feira, 27 de março de 2013

Com ela... Somente


Com ela... Somente


Porque te atreves tempo agreste
Não vês que quero ficar sozinho
Não sentes a roupa rasgada,
no corpo que me deste
Porque me olhas assim, tempo do nada
Porque te atreves a oferecer-me a hora infinita
Não vês que não posso esperar
O meu corpo ansioso vestiu-se da solidão
Não sentes as pancadas do meu coração
A agonia de não ter comigo o lindo olhar
Porque te atreves a tapar-me a boca
Não vês que sem o seu perfume eu não respiro
Não sentes o meu peito rebentar, a voz é rouca
Porque te atreves ferir-me a tiro
Com essa tua arma de fogo
Porque te atreves em não me deixar
Não vês que isto não é um jogo
É a vontade de amar
Porque te atreves em nos manter separados
Não vês que meu corpo se transforma,
em vontades carnais
Não sentes os nossos corpos apaixonados
Porque te atreves, não vês que se amam ainda mais
Porque te atreves... Não vais conseguir
O amor vai entrar pela janela
O tempo de ti vai fugir
e com o tempo eu fujo com ela

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.