Número total de visualizações de página

domingo, 13 de janeiro de 2013

Vontades


Vontades

Fui eu...
Que sem astrolábio conquistei mares
Fui eu...
Que por entre nuvens descobri a lua
Vontades de espuma, perfumados olhares
Vontades na bruma, onde te imaginei nua
Fui eu...
Que descobri o sol em dias cinzentos
Fui eu...
Que vi uma luz cristalina que se quis apaixonar
Vontades da alma, em meus pensamentos
Vontades de amor, num belo olhar
Fui eu...
Que sem caminhar te procurei
Fui eu...
Que sem falar te consegui entender
Vontades de luz, porque o sol é rei
Vontades de um coração, que não sabe esquecer
Fui eu...
Que por entre multidões te escolheu
Fui eu...
Que no silêncio do teu rosto, roubou um sorriso
Vontades de um olhar caído do céu
Vontades da vida, quando o amor é preciso
Fui eu...
Que te chamou sem prenunciar palavras
Fui eu...
Que te raptou naquele dia
Vontades de um coração que lavras
Vontades da poesia

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.