Número total de visualizações de página

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Olha-me novamente


Olha-me novamente

Amor, que na minha vontade escrevo
É o vivo raio de luz que me deu o dia
Um olhar puro de cristal que me derretia
Por entre flores perfumadas que nem me atrevo

O olhar, que em si mesmo não se atreve
O sonho de íris pura, como eu desejaria
Convertido em fonte, tanto te queria
Luz do sol, não sei quem me conteve

Juro amor, que vontade de te falar
Juro amor, que não seu como me alimento
Sou a brancura do teu iluminar

Um momento de amor, gravado no tempo
Honesto, sincero o teu olhar
Lindo o teu sorriso, um imortal sentimento

José Alberto Sá

2 comentários:

  1. As palavras de um poeta poesia são como perfume pairando sobre o ar,como as ondas calmas do mar ao banhar nossos pés,são arco-íris do amor...enfim,são acalanto e ternura aos olhos do leitor...Belíssimo ,querido e doce José Sá!!! Luz e sorrisos !!!Beijinhos!!!
    Keyla

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Keyla, pelas lindas palavras de um coração belo e carinhoso, beijinhos do meu coração.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.