Número total de visualizações de página

domingo, 6 de janeiro de 2013

Na palma da mão





Na palma da mão

Na minha mão
Nas linhas da minha sina
Vieste sorrir na linha do meu coração
Na minha mão
Um sorriso que me fascina
Vieste deitar-te na linha do amor
Olhavas-me por entre meus dedos
Agarravas-te à linha
À ruga dos meus enredos
Tal e qual se agarra ao tronco a flor
Na palma da minha mão
Senti-te e quis te tocar
Na linha que me é mais querida
Olhavas-me comprometida
Onde eu te sentia agarrar
Na minha mão
Na mais calosa face do meu ser
Queria-te ver
Estavas sentada
Na linha da paixão
A linha mais bela
Que te ofereço da minha mão
Parecias à janela
Aí, estavas no meu coração
Apertei-te
Apertei tão forte
Queria sentir-te gritar
Sentir minha sina, minha sorte
Que me pudesses chamar
Na linha da minha vida
Na linha da minha vontade
Na linha do sol onde és querida
Na linha da lua onde és o luar
Na linha da luz onde és a verdade
A minha sina
Na linha do teu olhar


José Alberto Sá

1 comentário:

  1. Olá amigo José, tu escreves lindamente! é sempre um prazer retornar! faça-me uma visita também, conto com seus comentários para melhorar e me aprimorar! bjin

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.