Número total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

No silêncio de mais um dia


NO SILÊNCIO DE MAIS UM DIA

Esqueci o barulho do mar
Apaixonei-me pelo silêncio
O silêncio que a tua voz me oferece
Até os pássaros que chilreiam
… Perturbam-me… Quero-te imaginar
e embalar nas palavras que não me deste
Não consigo esquecer
O perfume do silêncio que em mim mora
E me faz escrever
Palavras sobre o teu ser
… Teu olhar comovente
Sinto que o meu relógio não pára
O tic-tac bate forte
Oiço o tempo e ele não mente
Tu és o segundo, o minuto, a hora
No silêncio do suspiro,
quando se namora
Não retiro um único sentimento
Pedi que falasses, talvez um dia…
Sou paciente
Vivo no silêncio do teu tempo
Mais um dia sem palavras… Poucas
Mais um dia e nem um segundo por ti,
me foi roubado
Bocas…
Bocas caladas, deitadas comigo para dormir
Sonhei… Imaginei que me dizias
Estou aqui… Cheia de vontade de falar…
Mas nada…
Somente sorrias
Pergunto… Serão dias?
Hoje, espero o silêncio quebrar
Vou esperar
Mais um dia, o silêncio… Tua poção
Mais um dia de ti, sem palavras para me dar
Escrevo-as no caderno da minha imaginação
Lê e sente… Podes falar…

José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.