Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Em silêncio, tudo disseste


Em silêncio, tudo disseste

Sem palavras…
Disseste tudo o que eu queria ouvir
Não vi tua boca mexer
Mas ouvi o sussurro do teu sorrir
Na candura do anoitecer
Senti o crepitar da labareda
Num fogo do meu coração
Senti uma vontade, brilhante como ceda
O aveludado gesto de tua mão
Que bom ouvir esse teu silêncio
Onde somente teus olhos falam
… E me roubam
Mesmo sem palavras, não dormi
O sono diluiu-se
… Contigo
No escuro olhei vezes sem conta
Para ti
Sem palavras…
Silêncio…
Imaginei ver-te entrar pela porta
Pela janela do meu sonhar
Sei lá… Por onde te vi entrar
Só sei que não dormi e pouco me importa
Se me sinto exausto durante o dia
Se durante a noite, eu quis amar
Sem palavras…
Foi lá que tudo eu disse
Foi lá que tudo disseste
Sem palavras…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.