Número total de visualizações de página

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Preciso de ti


Preciso de ti

Onde estás fresco da manhã
Que já não me acordas
Já não oiço o timbre do teu chamar
Onde estás, sumo da maçã
Que já não sei o teu sabor
Meus lábios secaram
Na esperança que os mordas
E neles consigas saborear
O sumo de corpos que se amaram
Onde estás sol da minha janela
Não te sinto entrar pela persiana
Saudades da luz de mim para ela
Quando ainda deitado na minha cama
Tanto tempo passou, mas eu não esqueço
O tempo que passamos à beira mar
Sonho
Acordo e pergunto
Será que mereço?
Esta saudade onde me ponho
De um amor que esteve junto
Onde estás chuva de gotas transparentes
Tenho saudades da tua humidade
Do brilho do amor em corpos dormentes
Onde estás ó verdade?
Mais um dia sozinho deambulando
Meus lábios sedentos olham o céu
Beijos
Amor
Que não me falas
Desejos
Ardor
Onde estás? Amor meu.
Tu não me calas!

José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.