Número total de visualizações de página

terça-feira, 12 de junho de 2012

Perdido


Perdido

Não me leves a mal
Só porque não te esqueço
O meu pensamento é o meu vendaval
E eu sei que mereço
Vergo-me arrependido…
Se durmo… Sonho contigo
Se acordo… Vejo-te na luz
Vejo-te na água onde me lavo
Vejo-te na minha cruz
O meu merecido castigo
Viver sem ti…
Vergo-me querendo ficar contigo…
Se caminho… Oiço teus passos
O vento traz o teu perfume
As flores lembram teus abraços
E eu… Mereço todo este queixume
Sofrer, pelo que não senti
Vergo-me arrependido…
Se choro… As lágrimas brilham como tu
No meu sorriso… Oiço a tua voz de menina
E eu… Mereço sentir-me nu
Viver com os erros,
com a luz que já não ilumina
Vergo-me querendo ser teu amigo…
Vivo no mundo vazio
Uma ave sem voo… Sem pio
Preso entre grades de um louco aperto
E eu… Mereço não estar liberto
Agora sinto vontade de ti
Sozinho tentando esquecer
As palavras que recebi
E me fazem sofrer
Vergo-me arrependido…
Estás feliz sozinha
Numa procura de um amor perfeito
Mereces, alguém que te acarinha
Eu seguirei uma vida sem jeito
Vergo-me pedindo o teu abrigo
Fica comigo

José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.