Número total de visualizações de página

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Cor-de-rosa


Cor-de-rosa

Era rosa a cor do teu vestido
Ficava-te bem
Imaginei-te a bailar,
em contornos provocantes,
o meu alarido
E vontades mais de cem
Em suma…
A hipnose dos meus olhos, só de olhar
Imaginei-te um flamingo, tua elegância
Ave doce, de plumagem real
Imaginei-te num beijo, minha ganância
Menina cor-de-rosa, de vestido formal
Quis abraçar-te e sentir teu calor
Teus olhos me chamaram, eu vi
Quis amar-te, fazer amor
Tua boca me chamou, eu senti
Suave pluma…
Senti minha face na tua e quis absorver
Todo o teu perfume,
naquele instante
Senti a tua respiração, como se fosse um queixume
E ali quis ser teu amante
Suave espuma…
Estavas linda, menina cor-de-rosa
Perfeita, suave, como plumas à luz do dia
Ondulante como palavras em prosa
Cativante como palavras em poesia
Tu és, só uma…
Menina cor-de-rosa, de puro apetecer
De ciúme singelo, de um amar arrepiante
És o meu flamingo que não irei esquecer
És a pluma poisada na minha estante
Tom de rosa e perfumada
Menina do mar, gravada na lua
Vestida de rosa, apaixonada
Flamingo a voar e eu a sonhar
Contigo na praia, amando-te nua

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.