Número total de visualizações de página

terça-feira, 24 de abril de 2012

deuses


deuses

Falei com os deuses
Perguntei porque sinto o tempo
Tempo em que me preocupo com os amigos
Amizades ganhas no vento
Ventos que me trazem a importância
Mestria na riqueza, pena dos sem abrigos
Eu falei…
Que sinto a importância do abraço
Um toque, uma palmada nas costas
Um sorriso sincero, um ocupar de meu espaço
Uma palavra de alento, mil respostas
Eu falei…
De perguntas nunca ditas
Falei que sinto a palavra ao ouvido
O escutar em amor que só tu acreditas
Jamais me queixarei, jamais duvido
Que os deuses me acompanham
Olho-os quando vejo as pombas debicando
Migalhas que lhes dou
Imagino-os quando uma esmola gritando
É a esmola que lhes dei, de um amor que eu sou
Eu falei…
Com os deuses, deixei-lhes uma carta
Numa folha branca deixei escrito
Palavras de amor
Palavras minhas ao ser bem dito
Mil palavras em meu papel, uma mão farta
Palavras de saúde, esquecimento da dor
É esse tempo que sinto
Paz, alegria, felicidade
É nesse vento que vem
Que eu lhes falei…
No carinho, harmonia, verdade,
deuses meus, iguais aos vossos, quem os não tem

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.