Número total de visualizações de página

domingo, 29 de abril de 2012

Apetecia-me


Apetecia-me

Queria gritar todas as palavras
Não posso!
Semear asneiras, campo de larvas
Gritar todas as que sei...
Mas não posso!
Sou educado?
Não!
Tenho vergonha.
Gritar as mais horríveis
Sou malcriado?
Não!
Tenho vergonha somente
Tenho vergonha de gritar como toda a gente
Mas apetecia-me
Dizer maluqueiras
Asneiras
Sou somente sincero
Malcriado?
Não!
Sou o que eu quero
Queria barafustar agressivamente
Mas sou educado
Talvez exagerado em educação
Mas... Um palavrão
Seria bem dado
Era o que me apetecia
Minha vontade
Minha arrelia
Mas não!
Sou educado
E falarei sem agressividade
Não serei malcriado
Verdade...
Falarei pela minha boca
...
Oh... Menina marota!

José Alberto Sá

1 comentário:

  1. Nem sempre superamos a parte de não dizer o que nos apetece...
    Talvez o poeta fale mais do que os outros, mas consegue ferir menos do que aqueles que não falam!
    Menina Marota* não cabe no som da sua boca!!!
    Um poema que canta...uma menina que dança.
    Parabéns José!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.