Número total de visualizações de página

terça-feira, 27 de março de 2012

Salpico de amor


Salpico de amor


A água ao vento salpicava

Eram gotas dos teus olhos

Lágrimas de um chafariz

Perdidas no ar, caída em folhos

Num corpo que te esperava

Sedento, carente, mas feliz

Gota do teu olhar

Sentado, sentia a água cor de prata

Gotas de uma menina

Como se fosse uma carta

Escrita no cavalgar de uma crina

Gotas de cor lilás

Lágrimas de aroma alecrim

Cheiro que me satisfaz

No cavalgar da água sobre mim

Gota do teu amar

Estendo a mão para te apanhar

Belo… Uma lágrima me tocou

Água do chafariz, o teu luar

Uma gota sentida que me amou

Salpicos de frescura

Água de cristal, cor do teu rosto

Menina pura

Água do chafariz, de quem gosto

Gota do teu respirar

Desnudo-me para que me banhes

Quero sentir-me húmido e amado

Não te acanhes

Água de amor salpicado

Quero-te sentir

Quero ver-te sorrir

Gota do meu chafariz

Vem regar-me, eu sou flor

Vem rega-me a raiz

Dar-te-ei o meu amor


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.