Número total de visualizações de página

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Viagem


Viagem


Tracei um risco num papel amarrotado

Engelhado pelo vazio

Enrugado pelo destino

Tracei um risco num papel molhado

Engelhado pelo frio

Enrugado pela vida sem tino

...

Tracei um risco num papel bolorento

Engelhado pelo tempo

Enrugado pelo vento

Tracei um risco num papel queimado

Engelhado e enrugado

Pelo risco de dor, meu fado

...

Tracei um risco num papel rasgado

Engelhado pela ira

Enrugado pela ausência, pela ida

Tracei um risco num papel riscado

Engelhado por quem me tira

O enrugado papel de uma vida

...

Tracei um risco num papel sem caneta

Engelhado e destroçado

Enrugado e triste... Sem meta

Por um risco mal traçado

Num papel devorado

Uma caneta sem tinta... Uma treta

...

Tracei um risco num papel... Meu pensamento

Papel que voa pelo vento da alma

Sem caneta fiz o risco em julgamento

Engelhado e enrugado pela calma

De uma vida traçada

Riscada no papel da terra

Com a caneta do meu hino

Do fundo do mar... Ao cimo da serra

Da vida que não é pensada

Com risco ou sem risco... É o destino


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.