Número total de visualizações de página

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Choro...


Choro...


Quando eu choro...

Sei sempre o porquê

É dor... É o frio

Que não se vê

Quando eu choro...

É o corpo em arrepio

Em letras que ninguém lê

É onde moro...

Quando eu choro...

Meu corpo vazio

Corpo frio sem cor

Quando eu choro ...

Pode ser de amor...

Uma ponte sem rio

Onde imploro...

Quando eu choro...

As lágrimas escorridas

São sofridas...

Quando eu choro...

Sofridas são as de dor

Quando eu choro...

Por amor

E aí eu demoro...

A secar...

Quando eu choro...

A amar...

Onde moro...

Nas lágrimas do meu coração

Lágrimas do céu

Choradas no chão

Do meu olhar...

Se estou a chorar


José Alerto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.