Número total de visualizações de página

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Vergonha


Vergonha


Conseguia ver-te e sentir

Conseguia olhar-te a sorrir

Conseguia fazê-lo sozinho

Conseguia sentir o quentinho

Da luz que irradiavas

Conseguia fechar os olhos e sonhar

Conseguia sentir se lá estavas

Sem abrir os olhos de chorar

...

Conseguia...

Tinha sonhos e essa mania

Sonhava que tudo sorria

Mas...

Só lá estavas e...

Nem um pouco me olhavas...

Para que eu te acenasse

Conseguia que meu coração

Batesse em revolta

Conseguia imaginar tua mão

Fazendo-me um carinho

Mas... Sozinho...

Só queria a tua volta

...

Tu... Não me ligavas

Conseguia cheirar teu perfume

Mesmo estando distante

Conseguia arder sem ter lume

Conseguia ser teu amante

Sozinho...

Nem um pouquinho

Me recebeste

Nem um pouquinho

Me quiseste

Mas...

A vergonha não é tua

É minha...

De uma vontade nua

Do medo da rejeição

Mas... Olha só um pouco...

Se quiseres... Vem...

Dá-me a tua mão

E sente a vontade de um louco

De coração


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.