Número total de visualizações de página

domingo, 29 de janeiro de 2012

Eram e são


Eram e são


Eram naus, as nuvens que me levaram

Eram pássaros, as folhas que caiam

Eram ventos, os sorrisos que me amaram

Eram tempos, as horas que me sorriam

Eram tantos os sonhos…

Em nada medonhos

Eram estrelas, a luz do meu olhar

Eram a lua, as vontades de sonhar

Eram o sol, os beijos de desejo

Eram o mar, os carinhos onde me vejo

Eram tantos os caprichos…

Que em nada eram lixos

Eram perfumes, os sussurros da minha boca

Eram Mãos, as carícias do meu falar

Eram toque de magia em ti, menina louca

Eram o rio, meus pés a caminhar

Eram tantos os pensamentos…

Em nada ciumentos

Eram areias, as vezes que te amei

Eram ondas, os abraços que te dei

Eram a chuva, a vontade de um beijo molhado

Eram fogo, se te olhava apaixonado

Eram tantos os caminhos…

Em nada sozinhos

Eram músicas, os beijos na minha dança

Eram melodias, os sonos dormidos contigo

Eram cristais, os sentimentos de criança

Eram ouro, deitar-me no teu umbigo

Eram e são…

Se me deixares continuar…

De coração…

Amar… Amar… Amar


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.