Número total de visualizações de página

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

De novo...


De novo…


O sol regressou brilhando no mar

As ondas rebuliças pareciam de prata

Oh meu sol… Que menina grata

Que iluminaste em teu abraçar

Sol da minha tertúlia, meu rimar

Sol da minha canção do meu amar

Braços de calor que me penetraram

Aquecendo meu sonhar

Nas ondas que me elevaram

Ao sol… Ao mar…

À menina meu par

Até o vento quis ver

Até a maré me espreitou

Até as árvores queriam ser

Até o céu me copiou

Foi… Foi o envio do sol

Em braços de mil cores

Sorrisos de espuma sobre as rochas

Abraços de perfumados sabores

Candeias acesas, o milagre desse dia

De acesas tochas

De amor e carinho que me apetecia

Até a vida me perguntou

Até o tempo saiu apresado

Até o silêncio queria saber quem sou

Sou eu… Sou eu um apaixonado

Até Deus me acalmou

Até eu… A Ele agradeço

Saber que a vida regressou

De uma vontade…

Que na verdade, não sei se mereço


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.