Número total de visualizações de página

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

A procura do tempo


A procura do tempo


Lamas de um chão molhado

Tempos invernosos

Meu estado…

Olhos cavernosos

De um esgotar de saudade

Horas mortas

Ponteiros de um relógio ferrugento

Linhas tortas

Não aguento…


Cara pálida pelo vazio

Cicatrizes da ânsia

Qual vela sem pavio

Chama apagada, pela distância

Nada…


Lodos pegajosos

Movediços

Afectos melindrosos

Agulhados pelo desespero

Qual abelhas sem cortiços

Mas eu te quero…

Brasa sem lume

Árvore caída, putrificada

Sem vontade, sem queixume

Água barrenta, estagnada

Das lágrimas caídas, sem vaidade


Ave de voo cortado

Preso… Engaiolado

Agradecendo já ter voado

Como eu agradeço

Já ter amado

Lamas e tempos que passam

Olhos e ponteiros de uma vida

Do amor dos que me abraçam

Dos que não querem a despedida


Eu fico

Eu espero

Porque quero

e repito

Te amo


José Alberto Sá

1 comentário:

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.