Número total de visualizações de página

sábado, 6 de agosto de 2011

Até que um dia...

Até que um dia…

Foi fácil gostar
Foi difícil te deixar
Foi fácil receber
Foi fácil de dar
Foi o meu amor por ti
Fácil e intenso
Foi o amor que recebi
Que no dar fui imenso
Agradeci por te ter
Sonhei, imaginei, vivi
Na vontade de conhecer
Aquele amor, que nunca senti
Foi fácil, polar a cerca, correr
Foi difícil viver, tua ausência
Desabafei no mar que me viu nascer
Desabafei no deserto da minha inocência
Sempre te quis amar
Sempre te quis abraçar
Sempre te quis beijar
Mas…
Sonhar, sonhar…voar
Pensamentos sobre a tela
Imagens de cinema
Sonhos de conhecer, a menina mais bela
Não aconteceu… foi pena
Foi fácil escrever
Foi difícil na realidade
Foi fácil não te esquecer
Difícil a minha liberdade
Esquecer-te…jamais
Ter-te…numa jarra, uma flor
Ouvir-te em cantos de pardais
E sonhar que te tenho…meu amor
Serias pois a minha alegria
Serias pois a minha facilidade
Até que um dia…
Tudo seja verdade


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.