Número total de visualizações de página

domingo, 7 de agosto de 2011

Amiga

Amiga

Acordaram-me para a amizade
É verdade…
Uma amiga me tocou
Senti um arrepio… proximidade
Tudo se alterou
Eu a senti, algo longe, mesmo ali
Amiga, como meu coração sente
E a minha vontade não mente
Eu quero amigos, quero-vos falar
Quero-vos tocar
Sem nada pedir, só vos quero ter
Querendo convosco aprender
Somente quero a luz do vosso farol
O farol que me guia
Vozes amigas, cantos de rouxinol
Quero também a vossa alegria
Senti uma amizade de brilho inquietante
Senti uma cara, sem a ver
Senti vontade de ser brilhante
Na sua vontade, eu quis escrever
Amizade…
Hoje aprendi a beber da fonte da verdade
Aprendi que a amizade é arte
Confiança, virtude, liberdade…
Ao escrever, dou a minha parte
Estendi minha mão
Esperando sentir companhia
A dádiva do outro lado era a amiga
Esta luz é ela, que isolou a escuridão
Escrevi esta amizade elogiando
O toque que senti
Da amiga que nunca vi

Obrigado Amiga.
José Alberto Sá

1 comentário:

  1. MARAVILHOSAS E SENSÍVEIS SUAS PALAVRAS,JOSÉ.
    É UM LINDO POEMA!
    ENTREI EM SEU BLOGUE SEM PEDIR LICENÇA E,ESTOU ENCANTADA.
    EU SÓ AGORA COMECEI, TEM SIDO DIFÍCIL SEM AJUDA...
    ABRAÇO.
    GUI-07/08/2011

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.