Número total de visualizações de página

terça-feira, 14 de junho de 2011

Facilidade

Facilidade

Tão fácil não falar
Tão fácil ser surdo
Tão fácil alterar
Neste ingrato mundo absurdo
Horizontes que não se vêm…névoas
Salpicam os olhos de quem não quer ver
Cascatas de flores sem cheiro
Caminhos que não se encontram…léguas
Distâncias formadas em labirinto…meu perder
Ausência de tudo…qual mendigo sem dinheiro
Tão fácil dizer não
Tão fácil desligar
Tão fácil dar a mão!
Mundo meu…para lá do mar
Desertos onde tudo é miragem
Mar onde as ondas é um reboliço
Encontros que se marcam…sem viagem
Florestas encantadas…por um feitiço
Tal e qual paraíso…Adão e Eva…Pecado
Luxúrias exorbitantes da natureza, que rejeitamos
Quanto amor nos é pedido…nosso fado
Como correntes de lava de vulcões que amamos
Tão fácil chorar
Tão fácil sorrir
Tão fácil errar
Mundo meu…meu denegrir
Faz-me cantar
Faz-me sonhar
Faz-me ser feliz
Faz-me viver
Dá-me liberdade
Meu quadro sem giz
Mundo meu…meu escrever
minha verdade
Amar
Minha raiz
Meu coração
Felicidade tua
dizeres não!

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.