Número total de visualizações de página

domingo, 22 de maio de 2011

Sonhar

Sonhar

Estava dormindo e sonhando,
e no amor divagando, as palavras que ouvia
Somos sinceros, quero-te para sempre…dissemos
Mas não fomos capazes, de manter o amor nesse dia
na palavra que queremos.
Continuava sonhando,
momentos de frio e calor
E sentia que o que fazia, não era mais que uma gota no mar,
meu mar de menina marota,
mar salgado, meu amor
serás muito maior, se te der a minha gota.
Caminha apenas a meu lado,
não ames pela beleza, pela admiração, ama apenas.
E sente as saudades do atrás, sonhando adiante,
palavras que dissemos, que por muito pequenas
eram diamante.
Não sei onde estou, mas sei para onde vou
ama e faz o que quiseres, se calas, calas o amor,
se gritas, gritas pela dor, eu apareço,
Eu sou…
teu seguidor…eu confesso…
Não é difícil amar longe, difícil é estar a teu lado
Não te preocupes comigo!
Meu mar salgado.
Neste amor espontâneo, nesta essência profunda,
serei teu amigo.
mesmo que a nau se afunda.
Tenho o coração cheio de graça,
não me poupo a sofrimento, que me pode magoar,
mas não me volto à desgraça,
continuarei a avançar.
Fomos autores da nossa felicidade e infelicidade,
foste meu farol, a minha razão de ser
numa história que construímos, uma realidade,
uma verdade…
No amor que queria ter.
Sentia calor, vieste novamente e eu não parei
corri para ti, parecia voando
E quando te tinha, estava sonhando!
Acordei.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.