Número total de visualizações de página

domingo, 22 de maio de 2011

Faltas-me

Faltas-me

Hoje...
Já senti a tua falta
ou melhor…
Em cada segundo vives comigo.
Desculpa, sou eu.
Sou eu, a verdade.
Sou eu que te quero.
Fico triste por não descansares,
contente pela tua inquietude,
eu sou teu amigo.
Eu espero.
Que regresses, que tudo mude.
A noite foi longa, para sonhar.
O dia é já ali, é só esperar.
Acordei várias vezes, porque te ouvia
olhava e não estavas.
És melodia.
Eu estava contigo,
tu estavas comigo, eu o sentia.
O aperto de peito é em dobrado
á deriva no teu mar
perdida no meu deserto,
para que possa te encontrar.
Abraço apertado, na imaginação,
saudade, daquele amar.
Como se fosse uma canção.
Palavras que já não rimam
frases que não se casam,
junto ao altar.
Verdades.
Tu és vida, és luz
és claridade, luz aberta
Que nem sombras deixas para trás,
és o ser que me conduz
na nossa ausência, que te liberta
Saudades.
De quando não estás.

José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.