Número total de visualizações de página

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Um dia...

Um dia...

Soam os ecos de tristeza, ouço o sino
Ele que faz de mim, um ser para amar
De luto, de vida e de paz, me faço hino
Que redobra a vontade de sorrir e acordar

Batem as badaladas que se perdem no céu
Alguém que morre ou então se vai casar!
Amargo ou doce sentir, na terra ou no véu
O nascer para a vida, o silêncio e o falar

Tudo é história, memória da natureza
Faz de mim ser homem de amor altivo
As trevas que não vejo são tristeza

E o som do sino que entoa é comovido
Acelera meu coração na vontade e na certeza
De um dia não saberem que terei morrido


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.