Número total de visualizações de página

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Por tua vez

Por tua vez

Por tua vez, eu busquei as pétalas caídas no meu regaço.
Lembro ainda a busca amorosa e intensa… A fome que me mostravas, o querer que me trazias na boca, dessa boca vestida de flores.

Por tua vez, eu busquei o perfume que deixaste em meu pescoço.
Lembro ainda o deslizar suave, quando fugias às regras e aos sentidos do pudor… Lembro que te sentias colorida e da cor do amor.
E sempre busquei por tua vez, a imaginação que me escapava por entre os dedos, estes, que te saboreavam como uma abelha dentro da copa de uma flor.

Lembro amor… Lembro que por tua vez segurei aquele sorriso, somente para te manter a olhar para mim. Para mim, eras tudo e tudo era teu… Até o mar, a terra e o céu…

Por tua vez, cheguei a tocar-me… Sabendo que és impossível de substituir… Sabendo que és a perfeição que caminha pelos trilhos do meu coração… Lembro cada momento, pois meu coração em cada batida me faz lembrar… E sempre, sempre se lembra por tua vez…

Hoje somente queria que as pétalas deixadas no meu regaço, fizessem a fusão do caule, das folhas e da coroa… Lembro que sempre te amei… Sempre te respirei e ainda te respiro… Te sonho como flor e te desejo renascida em meu colo, sem despedida.
Tão completamente, que hoje, a saudade deu-me uma certeza… Ainda te amo, como amo cada pétala que deixaste no meu regaço… Cada sentir teu…

Renasce… Vem para te receber.
Os meus braços te querem apertar, minha boca quer envelhecer dentro da tua, tenho fome de ti… Vestida de pétalas ou nua… Fome como uma abelha tem de uma flor, quando lhe rouba um beijo de mel… Como este que hoje recebi na saudade de ti… Por tua vez…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.