Número total de visualizações de página

domingo, 7 de setembro de 2014

Extraída do meu olhar

Extraída do meu olhar

Revelas-te…
Sempre te revelas e inovas, a cada momento que meus olhos te saciam.
Revelas-te…
Pelo refrescante vestido que te adorna cada segredo, cada relevo que não me queres revelar.
E eu sempre te procuro desnudar, ao olhar pelas frestas que tens nessa tua nudez inteligente.
E não é somente…
Sempre te convido ao amor, sem que tu percebas… Que louco eu sou!
Louco, porque te revelas transparente…
E eu somente…
Queria dizer-te que és única a ocupar o espaço dos meus olhos…
Revelas-te…
E o inesperado é sempre o sorriso que faço, porque o faço embebecido pelo mel que imagino.
Revelas-te…
E a imaginação acelera e eu inesperadamente vivo feliz… Nem dás por isso, que louco eu sou!
Louco, porque queria tanto dizer-te todas as loucuras contigo… Pois contigo eu sonho acordado, mesmo a teu lado…
E tu que me sorris, lembras-te? Claro que não! Não imaginas o conteúdo da minha necessidade… Mas tu és linda.
E quando te revelas no céu, dentro de um vestido de cetim… Eu procuro sempre o teu sim…
E o sim é o conseguir concretizar um toque e que belo é o sentir a tua pele na minha pele… E a quando de um beijo… Já penso que somos um só…
E quando te revelas junto do meu ouvido…
Eu procuro preencher as palavras que recebo e tento sempre sentir teu respirar.
Olho-te apaixonado e tu não relacionas a leitura do meu olhar, com a beleza da tua boca… Que louco eu sou!
Quando te revelas e eu te imagino como eu…
Louca, pois só dois corpos loucos se dariam bem… Tu sabes e eu também…
Porque te revelas…



José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.