Número total de visualizações de página

terça-feira, 29 de julho de 2014

Cântico da caravela

Cântico da caravela

Naquele dia em que foste caravela,
te sentia,
te sorria dentro  do meu mar.
Dançavas nas ondas,
Dançavas nas vagas da euforia…
A água salgada pelo amargo silencio,
Onde eu te perdia.

Eu te quero, tu me queres… Nada acontece
Tu me queres, eu te quero… Tudo apetece

Naquele dia tu querias navegar na minha humidade,
na verdade,
querias os braços teus…
Pois os meus, eram ondas que te levavam,
pelo mundo que sentia a nossa paixão…
Coração…
Que batia no horizonte,
nossa vida, nossa luz… Tua fonte.

Eu te quero, tu me queres… Nada acontece
Tu me queres, eu te quero… Tudo apetece

Naquele dia em que naus te observavam,
o ciúme, o meu lume tudo sentia…
Nesse dia…
Eu sofria… Perdidamente,
caravela de olhos doces, menina contente…

Se um dia novamente tu quiseres
O meu mar já é teu em cada espuma
Serei teu, serás minha… Em tudo que apetece
Serás minha, serei teu… Em tudo que acontece

Caravela em meu mar
Num sorriso… Num olhar…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.