Número total de visualizações de página

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Nas dunas... Ai o mar!

Nas dunas… Ai o mar!

Aperta-me e tomba comigo…
Desmaia comigo na areia
As ondas nos levarão por esse mar dentro
Sente… A humidade que perfuma o umbigo
E as areias que saltitam, são diamantes que semeiam
os gemidos abafados… Estou sedento

Aperta-me e tomba comigo…
Sente o rasgar da roupa que desliza pela tua nudez
E o mar… Ai esse mar que nos leva
Sente… O respirar que grita pela voz do amigo
E as areias… Ai as areias que se colam à surdez
Ao silêncio que fazes, neste coito… Adão e Eva

Aperta-me e tomba comigo…
Senta-te a meu lado e não ligues à sombra
O sol reflecte os nossos corpos unidos
E o mar… Outra vez o mar a sonhar contigo
Sente, pois a sombra se mexe quando se tomba
E ambos nesta areia macia, são corpos queridos

Aperta-me e tomba comigo…
O horizonte é o limite do nosso olhar
O vento, nem esse geme mais alto que nós
Sente… O mar que ondula é nosso abrigo
Sente… A areia guarda o segredo deste amar
E eu… E tu… Aqui deliciosamente… Sós

Aperta-me e tomba comigo…


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.