Número total de visualizações de página

domingo, 6 de outubro de 2013

Dentro de mim

Dentro de mim

Temo… Temo pelo que possa vir a dizer
Minha boca se encheu de palavras
Tantas de ti
Que temo, pelo coração que tu lavras
Aqui…
Dentro desta boca, que me faz arder

Tenho a saliva com cheiro a rosa
Sinto dentro dela a humidade da chuva
Temo que grite, porque te quero
Sabes… É que dentro da minha boca
Existe a vontade louca
De dizer palavras de amor em prosa
Pois dentro da minha boca o beijo é vinho
É vontade e desespero
Porque temo, que este vinho seja da tua uva

Já não aguento sem dizer, que a minha sombra
É da tua luz
E temo…
Temo que diga a vontade dos meus olhos
Eles vêm e sentem na minha boca o mar
A frescura da onda…
Quando ela tomba
É a palavra de amor, que na minha boca reluz
Mas… Temo que as imensas palavras,
te cheguem aos molhos
Palavras que guardo ansioso para te dar

Olha para mim… Não sentes estes meus lábios?
Esta boca que teme as vontades dentro dela?
Pois bem…
Tenho palavras para ti… Mais de cem
Milhares de segredos que me chegam da tua janela
Temo… Temo este limite que me abocanha
A vontade de ligar o interruptor
Dizer-te ao acender do meu grito
Que és o meu amor
A loucura que me enche de palavras
A loucura que me leva pelas entranhas
E me levaram ao que aqui, está escrito


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.