Número total de visualizações de página

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Ceara de amor

Ceara de amor

Passei a ver-te nos trigais
E a crina do meu cavalo voa ao vento
Tresloucado momento
Onde ao relento
Desejo-te ainda mais

Passei a ver-te no campo de aveia
E a cavalgar senti secar os lábios
Porque galopava desenfreado para ti
E volta e meia
Nesse campo de aveia
Sinto que és o ouro que nele nasceu
Um tesouro meu
Menina que a dançar ao vento eu senti

Passei a ver-te no abrir da espiga
Desci do cavalo para te abraçar
Correr até ti e olhar-te nos olhos
Nesse brilho que me abriga
Linda flor que persegui a galopar
E encontrei nesta ceara de folhos

Passei a ver-te neste campo de poesia
Canção da terra
Onde me levou o meu cavalo de crina dourada
Canta para mim, dá-me essa tua voz doce
Ai se assim não fosse...
Não te levaria à semente do meu coração
Que contigo quero colher
Numa ceara de amor, numa vida iluminada


José Alberto Sá

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.